20 de Julho — 21:00h

Anfiteatro Colina de Camões | Concerto de música barroca

GEORG FRIEDRICH HÄNDEL (1685-1759)

Concerto grosso em Lá menor op. 6 Nº 4
Larghetto affetuoso – Allegro - Largo e piano - Allegro
“Tornami a vagheggiar”, ária da ópera Alcina

CARLOS SEIXAS (1704-1742)

Três minuetes (arranjo para orquestra de Marcos Magalhães)

PEDRO ANTÓNIO AVONDANO (1714 - 1782)

"Ragion nell'alma siede", ária da ópera Il Mondo della Luna

CARL PHILIPP EMANUEL BACH (1714-1788)

Sinfonia em Dó maior, Wq 182,3
Allegro assai - Adagio - Allegretto

FRANCISCO ANTÓNIO DE ALMEIDA (c.1702-1755)

“Se già m'ingannasti”, ária inédita extraída da serenata Gli Incanti d'Alcina

ANTONIO VIVALDI (1678 – 1741)

Motete: “In furore iustissimae irae”, RV626

“In Furore”

OS MÚSICOS DO TEJO

Sandra Medeiros: Soprano
Marcos Magalhães: Direção musical

Sandra Medeiros, natural da ilha de São Miguel, é licenciada em Canto pela ESML onde foi aluna da professora Joana Silva. Como bolseira da Fundação Gulbenkian e CNC realizou estudos de pós-graduação em canto na RAM de Londres, onde foi distinguida com o prémio Amanda von Lob memorial Prize. A sua atividade como solista distribui-se pela música antiga, oratório, lied, canção do séc.XX/XXI e ópera, tendo actuado sob a direção dos maestros Michael Corboz, Marc Minkowski, Philippe Herreweghe, Lawrence Foster, Sir Charles Mackerras, Laurence Cummings, Enrico Onofri, Marcos Magalhães, entre outros. Também actuou com as mais destacadas orquestras portuguesas, com os conceituados Músicos do Tejo e Divino Sospiro, com as orquestras Barroca da RAM, Camerata Lysy de Gstaad, Sinfonia Varsóvia, Concerto Köln, Conjunt d'Antiga de L'ESMUC, L’Avventura London, entre outros. Gravou para as editoras Naxos e Hyperion. É convidada regular das temporadas dos principais teatros, salas de concerto e festivais de música portugueses. Tem-se apresentado, também, em importantes salas do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Luxemburgo, Macau, Bulgária, Brasil e Uruguai.


O agrupamento Os Músicos do Tejo, projeto musical no campo da música antiga, foi fundado em 2005 por Marta Araújo e Marcos Magalhães. Este agrupamento de formação variável apresentou-se em inúmeras salas e festivais nacionais e internacionais. A parceria com o CCB levou-os a produzir cinco óperas e a editar cinco discos. As óperas estreadas no CCB (La Spinalba e Il Trionfo d’ Amore, Lo Frate ´nnamorato, Le Carnaval et la Folie, e Paride ed Elena), foram recebidas com grande êxito junto do público e da crítica especializada. Os CD La Spinalba e Il Trionfo d’Amore obtiveram excelentes críticas no âmbito nacional e internacional, na revista Diapason. A ópera La Spinalba teve uma digressão em Portugal e em Espanha e já vai na sua décima apresentação. Apresentaram-se em inúmeros concertos em Portugal e no estrangeiro e foram objeto de diversos apoios institucionais. Recentemente atuaram no Auditorio Nacional de Musica de Madrid com retumbante êxito.

Os Músicos do Tejo têm o apoio da DGartes, da Câmara Municipal de Lisboa e da Biblioteca Nacional de Portugal.


Bilhetes