19 de Julho — 21:00h

Anfiteatro Colina de Camões | Concerto de Abertura

“Our secret world”

KURT ROSENWINKEL & ORQUESTRA JAZZ DE MATOSINHOS

Estreia em Coimbra

Foi há 13 anos, mais precisamente no ano de 2008 que a ligação Kurt Rosenwinkel/ OJM viu pela primeira vez a luz do dia. Desde esse primeiro encontro, do qual resultou um concerto com a música do influente e virtuoso guitarrista, arranjada para big band por Pedro Guedes, Carlos Azevedo e Ohad Talmor, já muitas outras valsas foram dançadas por estes pares. O já icónico disco "Our Secret World” foi lançado em 2010 e muitos concertos daí resultaram até aos dias de hoje. O destaque vai obviamente para as três residências em Nova Iorque - no histórico Birdland Jazz Club, no Iridium Jazz Club e no prestigiante Blue Note - sem esquecer a actuação no Beatdown Jazz Festival em Boston. E já que aqui se fala em valsas, não podemos também deixar de referir a passagem deste projeto pela Wiener Konzerthaus, na capital Austríaca. Ao longo de mais de uma década de colaboração o repertório amadureceu e cresceu de uma forma sólida com a entrada faseada de novos arranjos da música de Kurt Rosenwinkel. Agora e na ressaca de uma pandemia devastadora para o meio musical é hora de polir os instrumentos e as batutas e regressar ao palco com aquele que é “O” guitarrista desta geração e que como instrumentista e compositor, já ganhou certamente um lugar no Monte Olimpo dos deuses do jazz. Este reencontro acontecerá num lugar de lendas e amores proibidos, a secular Quinta das Lágrimas em Coimbra, no Festival das Artes, a 19 de Julho e ficará também para memória e espólio desta feliz história.

Rui Teixeira


Kurt Rosenwinkel é uma das referências mais sólidas do jazz moderno. O estilo deste guitarrista de Filadélfia é - e sempre foi - facilmente identificável, e a sua guitarra, de timbre único, faz parte da sua identidade discreta. O seu som caracteriza-se pela ausência de preconceitos contra os géneros musicais e a sua composição expressa uma profunda inovação e abertura às possibilidades da música contemporânea. Ao longo da sua carreira de mais de 30 anos e com treze álbuns como líder, Rosenwinkel colaborou com músicos, como Brad Mehldau, Brian Blade, Joshua Redman, Chris Potter e veteranos do jazz, como Joe Henderson, Paul Motian e Gary Burton.

A Orquestra Jazz de Matosinhos é uma instituição sem fins lucrativos que tem por objectivo promover a criação, a investigação, a divulgação e a formação na área do jazz. Criada em 1997, cruza ambição internacional com sentido de responsabilidade local e investe de forma continuada no desenvolvimento de projectos artísticos diversificados, projectos formativos coerentes e na edição discográfica de jazz português. Pioneira num território largamente inexplorado, a OJM cumpre o papel de Orquestra Nacional de Jazz.


Bilhetes