19 de Julho — 21:00h

Anfiteatro Colina de Camões | Jazz Flamenco

"FLAMENCO LEAKS"

Benavent, Di Geraldo, Pardo

Carles Benavent: Baixo Elétrico
Tino di Geraldo: Bateria
Jorge Pardo: Flauta e Saxofone

Após 20 anos da publicação do seu primeiro álbum; “El directo de Sevilla”, gravado no Teatro Central, Carles Benavent (baixo eléctrico), Tino di Geraldo (bateria) e Jorge Pardo (saxofone e flauta), festejam-no e apresentam-nos “Flamenco Leaks”. O trio de Carles Benavent, Tino Di Geraldo e Jorge Pardo é o grupo mais emblemático e mítico do jazz flamenco. É formado por três grandes mestres, cujas longas carreiras se cruzaram com músicos como Paco de Lucía, Chick Corea, Camarón, Quincy Jones, Michael e Randy Brecker, Pat Metheny e Miles Davis. Os elementos deste trio de veteranos conheceram-se há quatro décadas, quando no final dos anos setenta fizeram parte do sexteto que Paco de Lucía fundou para revolucionar o flamenco. “El trio”, que, longe de ser pretensioso, é o nome pelo qual o seu público os conhece, é “uma experiência” com resultados inéditos. São uma formação inusitada, com uma proposta livre e indomável, o flamenco 24 quilates, longe da ortodoxia e do folclore. MÚSICA com letras maiúsculas, alimentada pela experiência desses titãs em sua exaltada evolução vital e musical em torno do flamenco, jazz, rock, clássico, world music, etc.


Carles Benavent é um baixista e improvisador eximio, produto de muitas encruzilhadas musicais, ponto de encontro de culturas muito diferentes - especialmente jazz e música flamenca. Em 1980 juntou-se ao Paco de Lucía - uma relação que duraria mais de vinte anos -, e nasceu o lendário “Paco de Lucia Sextet”. Percorreram a Europa, América e Japão, dividindo o palco com grandes nomes como Jorge Pardo, Rubem Dantas e Ramón de Algeciras, entre muitos outros. Isso marcou o início da prolífica carreira de gravação de Carles com artistas de flamenco, incluindo o próprio Paco de Lucía (cinco álbuns), bem como outro nome lendário, Camarón de la Isla (quatro álbuns), e o ajudou a ganhar o apelido de “La Garza Flamenca”. Em 1982 embarcou na primeira de duas tournées internacionais com outro músico lendário: o pianista Chick Corea. Entre esse mesmo ano e o seguinte, gravaram dois álbuns juntos: Touchtone e Again and Again. Seu primeiro álbum como líder, o autointitulado Carles Benavent, surgiu em 1983. Em 1991 tocou no Montreux Jazz Festival com Miles Davis, em homenagem a Gil Evans dirigido por Quincy Jones. O concerto foi gravado em mais um álbum: Live in Montreux.

Tino di Geraldo nasceu em Toulouse (França), mas toda a sua carreira musical decorreu no país vizinho. Depois de várias experiências em outras áreas, começou a gravar flamenco, primeiro com Diego Carrasco e depois com Camarón, Manolo Sanlucar, El Pele, Vicente Amigo e Pepe Habichuela. Às suas habilidades como baterista e percussionista, Tino soma seu domínio do baixo, guitarra e teclados. A esta mestria musical junta-se a sua tremenda capacidade de criação e a sua concepção original de som, atmosfera e ar. Tino Di Geraldo é um inventor, mágico e acima de tudo um pesquisador em busca de um novo tipo de sonoridade latina.

Jorge PardoO flamenco abriu-lhe as ​primeiras portas, depois de entrar no sexteto de Paco de Lucia, actuando com o maestro nos grandes teatros do mundo. As colaborações com vários artistas flamencos foram o princípio do que hoje significa o flamenco-jazz, para espanto de artistas como Chick Corea, que desde 2004 o convidava regularmente para tocar. O seu estilo, com a flauta e o saxofone, é uma referência nos mundos do jazz e do flamenco. Para além de Chick Corea e de Paco de Lucia, tocou com Camarón de la Isla, Gil Goldstein, Pat Matheny, Wagner Tiso, Josemi Carmona, Joan Albert Amargós, entre outros grandes.


Bilhetes